NIVER THI-CHAN

Ontem foi o aniversário de maior idade trouxa do nosso querido elfo-doméstico Thi-chan! \o/
Sem outra alternativa, já que cresceu sob a influência da LAP, nosso eficiente elfo-doméstico desenvolveu habilidades tecnológicas e finalmente pode dominar o mundo sem depender de um tutor legal para isso xD

E, como o dia pede, ele não pode passar sem presentes! xD Dessa vez, junto com a ração diária, nosso elfo ganhou um pacote de balas de goma (da L) e uma fic em homenagem a essa data importante (da P) xD

FELIZ ANIVERSÁRIO, THI-CHAN!
Que o senhor da glória e da juventude continue jogando luz verde e papel picado colorido na sua vida! \o/

***

Mini-fic Especial para o Thi-chan

Enjoy!

Era uma vez um menino!

Ele era muito quieto e observador. Suas ações eram sempre medidas e nunca fazia nada que fizesse alguém se aborrecer. Era gentil, mas sempre fora um pouco arisco com outras pessoas, pois se intimidava muito facilmente. Ou, pelo menos, era o que fazia os outros acreditarem.

Até que, certo dia, ele estava em frente ao seu computador, em uma madrugada quente de Foz do Iguaçu, quando viu que uma luz se aproximava de sua janela. Curioso, ele viu que se tratava de um disco voador, e logo correu buscar uma máquina fotográfica e sua calculadora. O primeiro item era obviamente para ele tirar fotos e mostrar aos seus amigos alternativos. Já o segundo item era de suma importância: através daquela pequena calculadora, ele acharia um tradutor de fala alienígena e poderia facilmente conversar com os recém-chegados.

A nave pousou no quintal do nosso protagonista e ele correu até lá. As luzes coloridas piscavam e brilhavam, deixando-o incomodado. Colocou seus óculos escuros e esperou pacientemente que os alienígenas saíssem.

O que parecia ser a porta da nave abriu-se de repente, soltando uma nuvem de fumaça branca que instantaneamente fez o menino tossir. Primeiro as luzes e agora a fumaça! Maldita nave dos anos 50! Os alienígenas saíram e deixaram nosso protagonista, doravante chamado de Thi, abismado.

– Oi Thi! – falou um deles, com seus cabelos cacheados abundantes e um óculos estranhamente conhecido – Gostou?

– … Yuri?

– Sim! – ele disse, mostrando os seus colegas alienigenas, exatamente iguais a ele, exceto pela cor esverdeada – Não é legal?

Thi olhou para sua calculadora e mexeu alguns botões, tentando compreender o que acontecera. Ele mandara um sinal para um planeta distante, onde ele sabia ter uma civilização avançada e cheia de poderes, capaz de ajudá-lo com sua dominação mundial. Por algum motivo, sua calculadora achara que os Yurilígenas eram a melhor escolha… como aquilo era possível?

– Veja bem… – falou Yuri, aproximando-se com sua capa preta de senhor do mal – Eu sou o cara no planeta. Como shinigami, eu consegui passar meu dna para essas coisinhas e elas ficaram lindas! Eram somente gosmas verdes quando eu as encontrei, e agora, são liiiindaaaas!

– Isso só pode ser brincadeira…

***

– P?

– Que foi, L?

– Eu sempre acho muito legal a gente dormir todos aqui em casa e tal… mas porque o Thi está com a calculadora na cabeça do Yuri, dando risada?

– Bom… como vou explicar… – P respirou fundo e balançou os ombros – O Thi faz aniversário hoje e, como eu não comprei nenhum presente pra ele porque gastei tudo em doces pra Chibi e ela comeu todos e não deixou nenhum pra ele, eu resolvi que seria um presente legal dar os sonhos do Yuri pra ele mexer.

– Você… deixou ele mexer nos sonhos do Yuri? O Thi?

– Ahhh, L… ele acabou de fazer dezoito anos. Deixa ele aprontar uma que não vai levá-lo a cadeia e muito menos dará problemas mentais a alguém… quer dizer – P adicionou ao ver o olhar preocupado da L – O Yuri já disse que era um shinigami né? Que mais pode acontecer?

No dia seguinte…

– GENTEEEEEEEEEEEEEEEEE! – berrou Yuri, acordando todos os amigos.

– GAHHHH! – Restante.

– Eu tive um grande sonho revelador essa noite!

– … – LAP e Thata.

– Descobri que eu devo ir a um planeta distante, dominar seres gosmentos e verdes, colocar meu dna neles e dominar a Terra!

Thi deu um sorriso discreto, enquanto Yuri contava o que deveria fazer para criar seu próprio planeta e olhou para P, que instantaneamente entendeu.

– Um exército de alienígenas vaidosos?

– E com cabelos rebeldes. – completou Thi – Meu plano de dominação mundial começa hoje, no dia em que completo dezoito anos!

E então Thi saiu da sala, fazendo com que risadas maléficas fossem emitidas de sua calculadora.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s